< Voltar para notícias

Tendência embala negócios de nova fabricante de ração

Herdeiros de megapecuaristas e próximos de alguns dos maiores produtores de gado bovino do país, os empresários Leandro Lucena Barros e Bernardo Rodenburg decidiram apostar no segmento de ração para aproveitar o “boom” de investimentos em tecnologia que começa a dar o tom no Pará. E, a partir de um aporte de cerca de R$ 10 milhões, essa aposta deu origem à Libra Nutrição Animal.

Sediada em Redenção, no sul do Pará, a fábrica de ração para bovinos da Libra começou a funcionar em março e deverá atingir sua plena capacidade em um turno (60 toneladas por dia) em junho. A expectativa da empresa é obter retorno sobre o investimento em cinco a seis anos. Em 2015, a Libra deverá faturar de R$ 18 milhões a R$ 20 milhões, segundo o diretor-executivo Leonardo Floriano. Conforme ele, a construção da unidade, que teve início no fim de 2013, foi financiada em partes iguais por recursos próprios e por um empréstimo do BNDES repassado pelo Banco da Amazônia.

Esse desempenho inicial da Libra é fruto da boa rede de relacionamento dos dois sócios. Leandro é filho de Antonio Lucena Barros, conhecido como “Maranhense”, que é dono de um rebanho de mais de 30 mil bovinos. Já Bernardo Rodenburg é filho de Carlos Rodenburg, ex-cunhado do banqueiro Daniel Dantas e presidente do conselho de administração da Agropecuária Santa Bárbara, que pertence ao Grupo Opportunity. A mãe de Bernardo é Verônica Dantas, que também é sócia do grupo.

As duas famílias se aproximaram em 2007, quando a Santa Bárbara adquiriu dos Lucena Barros a Fazenda São Roberto, em Santana do Araguaia. Hoje, a Santa Bárbara e a propriedade rural de Lucena Barros estão na carteira de clientes da Libra. Recrutado pela empresa em Goiás, Floriano lembra o que ouviu de Antonio Lucena Barros quando a empresa de ração era um projeto em gestação. “Eu sento num leilão e tem 1 milhão de cabeças dos meus amigos. É impossível não dar certo”.

Apesar de reconhecer que o bom relacionamento ajuda e que isso foi um estímulo para a criação da Libra, Leandro Lucena Barros afirma que as negociações são duras, inclusive com seu pai. “Ele até queria preço mais barato”, disse.

No caso da Santa Bárbara, a Libra tem contrato para fornecer ração para o confinamento de bovinos. “Entramos pela porta da frente”, afirmou Floriano. Segundo ele, a contratação teve de passar pelo crivo da diretoria da Santa Bárbara. Além disso, a Libra tem vantagens sobre as concorrentes. Única empresa de nutrição animal desse porte instalada no Pará, ela pode entregar encomendas para a Santa Bárbara em apenas um dia útil.

A Libra tem capacidade para atender um rebanho de 700 mil cabeças de bovinos, a depender do mix de produção – a empresa produz desde sal mineral e ração preparada com milho e farelo de soja até premixes (pré-misturas de vitaminas e aminoácidos).